Artigo 02

Novel approaches to therapy for systemic lupus erythematosus: update 2005″

Expert Rev. Clin. Immunol. 1(2), 223 – 238 (2005)

Os autores fizeram a revisão dos artigos publicados na Medline, nos últimos 5 anos, sobre o tratamento do Lúpus Eritematoso Sistémico (LES).

É feita a referência ao papel da ciclofosfamida, metotrexato, antipalúdicos, tratamento hormonal e ao micofenolato de mofetil (MMF), quer no tratamento das manifestações mais moderadas do LES, quer nas mais graves. Sendo que os maiores avanços se verificaram nos ensaios com o MMF e o rituximab.

O MMF (um imunosupressor) tem demonstrado bons resultados principalmente nos casos de nefrite lúpica proliferativa, parecendo, além de eficaz, ser bastante seguro.

As terapêuticas biológicas, nomeadamente, com rituximab, também parecem de grande interesse no LES mas ainda há necessidade de estudos controlados para avaliar o seu efeito a longo prazo.

São discutidos e descritos os ensaios com outros agentes, sobretudo as terapêuticas biológicas, considerados tratamentos com resultados muito promissores no LES e, provavelmente, a terapêutica do futuro para esta patologia.

O transplante de medula é considerado, na análise dos autores, como um último recurso e ainda uma terapêutica reservada para os casos resistentes aos outros tratamentos no LES grave.

No final, são ainda focadas possíveis terapêuticas para investigações futuras no LES, quer como tratamento de indução, quer como adjuvantes dos tratamentos biológicos.

A leitura deste artigo é recomendável pois actualiza, de uma maneira simples, o que são os avanços mais recentes na terapêutica do LES.

Lèlita Santos