História da Associação

Foi no Congresso da Federação Europeia de Medicina Interna em Maastricht, em conversa com os colegas Costa Matos, de Cascais e António Maia Gonçalves, de Matosinhos, que surgiu a ideia de criar algo diferente na Medicina Interna.

Ao regressar, comecei a desenvolver ideias consultando várias pessoas amigas da Medicina Interna, da Indústria Farmacêutica e doutros meios que muito contribuíram para me estimular e dar sugestões que levaram à criação da Associação Medinterna.

Com o apoio de um laboratório, convidei alguns médicos, propositadamente sem qualquer informação prévia, para o primeiro almoço de trabalho, nas vésperas do Natal de 2001, no Restaurante Machado, em Moreira da Maia. Todos compareceram ao almoço, naturalmente muito curiosos. No fim da refeição expliquei o motivo da reunião, entregando a cada um dos presentes um projecto de trabalho, onde definia e caracterizava os objectivos da Associação.

Com muito detalhe, expliquei as fortes razões que levaram à selecção deste grupo de trabalho que incluiu a Dr.ª Anabela Morais, a Dr.ª Conceição Pires, a Dr.ª Fátima Coelho, o Dr. Filipe Basto, o Dr. Vieira Lopes e o Dr. Rui Castanheira. Nele estavam presentes todos os ingredientes que permitiriam o equilíbrio e a harmonia indispensáveis à génese da associação.

Este grupo passaria a reunir-se todos os meses, num restaurante do Porto, com a presença regular de todos, para uma análise crítica e entusiástica das novas ideias, aperfeiçoando o esquema inicial. A presença regular, assídua e empenhada de todos constituiu um dos factores basilares e propulsores.

Assim nasceu o projecto que deu corpo à Associação Medinterna.

Como objectivo principal, ficou definido que a promoção da formação pós-graduada e o apoio à formação dos internos complementares de Medicina Interna seria a nossa pedra de toque.

O passo seguinte foi a atribuição da nomenclatura e a criação do rosto da Associação. Inicialmente, escolheu-se Intermed, nome que não foi aceite, sendo por isso escolhido um segundo: MedInterna. Atribuido o nome seguiu-se a criação do logótipo, desenhado por um grupo de jovens designers de Matosinhos. Os estatutos da Associação, elaborados, escritos e levados a aprovação na conservatória com o apoio de um advogado de Matosinhos, foram autenticados pela Dr.ª Fátima Coelho, pelo Dr. Rui Castanheira e por mim e publicados em Diário da República.

Decidiu-se, conforme os estatutos, organizar uma reunião científica anual, denominada “Reunião Anual Medinterna”. O tema escolhido, após algum tempo de ponderação, foi “Doenças Autoimunes”, pela sua grande abrangência e nobilidade para a Medicina Interna. A Dr.ª Conceição Pires assumiu a responsabilidade das funções de Secretária-Geral e a Comissão Organizadora ficou constituída pelos restantes elementos.

A caminho da realização da 4 ª Reunião Anual de Doenças Autoimunes, a Associação mantém-se em grande crescimento e com considerável projecção em alguns meios médicos, ainda que mais em Coimbra e Lisboa do que no Porto. É no trabalho, na paixão e no sonho que assenta o progresso desta Associação. Os seus objectivos são nobres, de grande interesse para a Medicina Interna e para a formação de futuros especialistas.

A curto prazo a Medinterna aspira ter um espaço próprio, com um secretariado organizado, uma galeria de arte e um museu permanente para exibição de colecções privadas cujos temas vão desde os objectos médicos, passando por colecções privadas de filatelia e fósseis, entre outras.

Esperamos manter o sucesso como aliado e que o futuro propicie as nossas iniciativas.

Carlos Dias

Sócios

AstraZeneca BES Bial Boehringer-Ingelheim Merck Sharp & Dohme Octapharma Sanofi Pasteur pfizer